rotulo-vinho

Saiba como ler um rótulo de vinho

O rótulo é como o documento de identificação de um vinho e a forma mais fácil de conhece-lo antes da degustação. Assim, para minimizar as chances de comprar um vinho que não corresponda às suas expectativas, é importante entender as principais informações contidas em seu rótulo.

A quantidade de informações e o formato delas varia bastante entre os rótulos, que podem conquistar sua atenção também por suas cores e design, e assim gerar alguma confusão na hora da escolha. Pensando nisso, escrevemos um guia para te ajudar a entender o rótulo e fazer a melhor escolha.

Em geral, as principais informações contidas no rótulo são: o nome do vinho, safra, variedade da uva, região ou o país de origem, nome do produtor e graduação alcoólica. A disposição das informações varia de acordo com sua procedência:

  • Vinhos do Novo Mundo (Brasil, Argentina, Chile, África do Sul, Estados Unidos, Austrália, entre outros) destacam em seus rótulos principalmente o nome do vinho e a(s) uvas(s) que o compõem.

 

  • Vinhos do Velho Mundo (França, Itália, Espanha, Portugal, entre outros) destacam em seus rótulos o produtor e a região onde as uvas foram cultivadas.

 

Alguns rótulos trazem ainda mais detalhes sobre o vinho, como:

  • Denominação de origem: serve como um selo de qualidade concedido por instituições governamentais de diversos países, principalmente do velho mundo. Vinícolas que adquirem o selo têm sua reputação elevada e oferecem a garantia de aquisição de um produto de qualidade.
  • Maturação: vinhos que passaram por algum período de amadurecimento em barris de carvalho e envelhecimento na própria garrafa, geralmente estampam em seus rótulos os termos “Riserva”, “Reserva” e “Gran Reserva”. A nomenclatura “Reservado” é uma grande estratégia de marketing das vinícolas e não significa que o vinho passou por qualquer período de amadurecimento.
  • Origem do engarrafamento: a informação atesta que o vinho foi produzido e engarrafado na própria vinícola ou château.
  • Idade das vinhas: alguns produtores evidenciam essa informação em seus rótulos para agregar mais valor ao vinho, já que videiras antigas tendem a produzir frutos de sabores mais concentrados, originando vinhos considerados superiores.
  • “Cru” – Qualidade do terreno ou reputação da vinícola: o termo “Cru” foi criado na França, mais especificamente na Borgonha, para identificar parte de um vinhedo cujo vinho apresenta determinadas características específicas, safra após safra. Os terrenos considerados de melhor qualidade, ganharam os nomes Grand Cru e Premier Cru.

Neste guia iremos focar nas principais e mais comuns informações contidas em rótulos de vinhos para que você entenda o que cada uma delas significa:

Região ou país de Origem

Algumas regiões são conhecidas por terem o clima e solos propícios para o cultivo de determinadas uvas, indicando vinhos de alta qualidade. Na dúvida, escolha um vinho pelas uvas mais conhecidas de cada país ou região:

 

  • Argentina – 5º maior produtor mundial e maior consumidor e produtor da América do Sul, a Argentina fabrica vinhos tintos feitos principalmente com uvas Malbec, Cabernet Sauvignon, Syrah e Merlot, além de brancos com Chardonnay e a local Torrontés.

 

  • Alemanha – O forte da Alemanha são os vinhos brancos e de sobremesa, e as estrelas do país são as uvas Riesling e Gewurztraminer. Procure garrafas com a sigla “A.P.” no rótulo, que indicam vinhos produzidos segundo critérios nacionais de qualidade.

 

  • Austrália – Com destaque para os tintos produzidos com Pinot Noir, Merlot, Cabernet Sauvignon e a nacional Shiraz, a Austrália tem crescido no cenário mundial de produção de vinhos, sendo hoje a 6ª maior produtora do mundo.

 

  • Brasil – Apesar de ainda não ser estrela global, o Brasil também produz vinhos de boa qualidade. Os espumantes são os mais conceituados, mas tintos feitos com Merlot, Cabernet Sauvignon e Pinot Noir, assim como brancos de Riesling, Gewuztraminer, Sauvignon Blanc e Chardonnay também têm apresentado boas safras.

 

  • Espanha – No ranking como o 3º maior produtor do mundo, a Espanha brilha com uvas nacionais como as brancas Palomino e Maccabeo e as tintas Trempanillo e Garnacha.

 

  • Estados Unidos – Crescendo muito em produção, hoje o 4º maior produtor do mundo, as principais safras estadunidenses vêm da Califórnia e se inspiraram na região de Bordeaux, na França, produzindo uvas como Pinot Noir, Syrah, Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Riesling.

 

  • França – Em 2º lugar no ranking de produção mundial, esse é o país que mais bebe vinho por habitante adulto no planeta. Por essas e outras é que a França é simplesmente sinônimo de tradição e qualidade quando o assunto são suas vinícolas. Os vinhos fabricados por lá são classificados por região, e não por uva, sendo as principais Alsácia; Bordeaux; Bourgonha; Champanhe; Loire; Rhônes; Languedoc-Roussillon ou Provença.

 

  • Itália – Campeã mundial de produção, a Itália conta com 5 regiões produtoras diferentes, controles de qualidade rigorosos e diversas uvas nativas, como Prosecco, Barbera, Trebbiano, Sangiovese e Nero d’Avol

 

  • Portugal – Com o Vinho do Porto como carro-chefe, Portugal também oferece a excelente uva Touringa Nacional.

 

Safra

A safra indica o ano em que as uvas foram colhidas. É uma informação muito importante, já que alguns vinhos podem melhorar com o tempo, enquanto outros perdem suas melhores características.

Muitas pessoas ouvem falar que, quanto mais velho o vinho, melhor. Esta afirmação refere-se somente aos vinhos de guarda (somente 10% dos vinhos produzidos no mundo), aqueles que são elaborados já pensando em seu envelhecimento, para consumo nos próximos 10, 20, 30 anos e assim por diante.

De modo geral, a maioria dos vinhos brancos e rosés devem ser consumidos dentro de 2 ou 3 anos após sua produção, enquanto a maioria dos tintos, em até 5 anos.

 

Produtor

O nome do produtor frequentemente aparece em destaque e pode ser uma grande empresa ou uma pequena vinícola familiar. Alguns produtores não dão um nome específico ao vinho, utilizando apenas o nome da própria vinícola. Os produtores têm características únicas e personalizadas, saber diferenciá-los, conhecer a reputação de cada um, é um passo e para conhecer a origem e qualidade do vinho escolhido.

Variedade da Uva

Existe uma grande variedade de uvas viníferas e é praticamente impossível conhecer todas elas, mas existem algumas características das principais delas que você precisa conhecer para aprimorar sua escolha:

Uvas Tintas

  • Cabernet Sauvingnon – é a uva cultivada nas mais variadas regiões vinícolas do mundo. Seu vinho de cores profundas, ricos em aromas, taninos e acidez é considerado hoje o vinho mais popular do planeta. Produz vinho tinto seco encorpado de taninos altos.
  • Malbec – é uma uva de origem francesa, nascida e muito cultivada na região de Cahors, sudoeste da França. Atualmente então encontrou novo terreno para se desenvolver, a região de Mendoza, na Argentina. Produz vinho tinto seco encorpado de taninos médios-altos.
  • Merlot – Muito cultivada no Brasil, essa uva é considerada por muitos a uva representante do vinho nacional, entretanto, também é muito famosa na França, principalmente na região de Bordeaux onde, junto à Cabernet Sauvignon, dá origem aos célebres vinhos tintos da região. Produz vinhos tintos com características frutadas, corpo médio, acidez e taninos moderados.
  • Pinot Noir – é uma das uvas mais delicadas e difíceis de cultivar e vinificar. Tal delicadeza origina vinhos de pouco corpo, cor pálida e sabores sutis, com taninos que, muitas vezes, são quase imperceptíveis. A falta destes elementos é compensada pela sua acidez elevada e intensos aromas de frutos vermelhos, terrosos e especiarias.

Uvas Brancas

  • Chardonnay – é a uva branca mais conhecida em todo o mundo, podendo originar vinhos com os mais variados estilos e sabores. Muitos dos vinhos espumantes, inclusive os grandes champagnes, são elaborados com uma parcela da uva Chardonnay. Produz vinho branco de corpo médio a encorpado, rico e cremoso, além de espumantes.
  • Riesling– é a uva clássica da Alemanha, que chama a atenção pela riqueza em aromas e sabores, sendo considerada uma das uvas mais aromáticas do mundo. Seus vinhos podem ser produzidos em diferentes níveis de doçura, de vinhos secos a extremamente doces, sempre com altos níveis de acidez. Produz vinho branco aromático floral, de corpo leve a médio, seco ou doce.
  • Sauvignon Blanc– é uma das variedades mais cultivadas em todo o mundo. O vinho Sauvignon Blanc pode ser descrito como: seco, leve e refrescante, entretanto, por crescer em diversas partes do mundo, a uva Sauvignon Blanc pode originar uma enorme variedade de vinhos, em diferentes estilos e sabores.

 

Graduação alcoólica

Indica o percentual do volume alcoólico na bebida. O álcool contribui para a longevidade do vinho, quanto mais álcool tiver, mais tende a durar, seja fechado ou mesmo depois de aberto. Os vinhos com maior teor alcoólico terão a sensação de quentura e peso no paladar.

Agora que você já sabe como ler um rótulo de vinho, que tal praticar seu conhecimento em nossa loja e escolher o seu preferido?

Boas compras!